Homepage
Cruzado
Perspectivas
Fazer uma doação
Acerca de Fátima
Notícias
Documentação
Terceiro Segredo
Consagração
Orações
Livraria
Mesa de trabalho do Padre
Apostolado
Informações
THE FATIMA NETWORK
ImageMap for Navigation Porquê Fátima? Mapa do site Contacto
Apostolado: Santo Padre, por favor ponha fim à perseguição de um fiel sacerdote e seu Apostolado de Fátima!

Santo Padre,

por favor ponha fim à perseguição de um fiel sacerdote e seu Apostolado de Fátima!

Santíssimo Padre:

Escrevemos-lhe esta carta por parte do Padre Nicholas Gruner, quem tem dedicado a vida a fomentar a Mensagem de Fátima. Com certeza ninguém entende melhor a importância dessa Mensagem que V. Santidade.

Em 1917 a Mãe de Deus e Rainha do Céu, a quem V. Santidade tem dedicado todo o vosso pontificado, e a quem ama com grande devoção, apareceu em Fátima a três meninos pastores para mandar uma importante convocação à Igreja e ao mundo. Essa convocação, a Mensagem de Fátima, pede à Igreja inteira Eucarística devoção e reparação, refúgio no Imaculado Coração de Maria e conversão pessoal.

Em Fátima a Mãe de Deus também pediu pela consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração, como um meio designado por  Deus para trazer paz a um mundo em guerra. Ela também comunicou o que é conhecido como o Terceiro Segredo de Fátima, cujo misterioso conteúdo ainda não foi revelado aos fiéis, mas muitos acreditam que é uma grave advertência sobre o estado da Igreja e do mundo na última parte deste século.

Inclusive as histórias seculares relatam que a 13 de Outubro de 1917, Nossa Senhora confirmou a autenticidade da Mensagem de Fátima sem nenhuma dúvida: no momento especificado pelos três pequenos pastores, o mais grande milagre desde a divisão do Mar Vermelho, foi presenciado por mais de 70.000 almas —crentes e não-crentes por igual— os quais se tinham reunido na Cova da Iria para ver se as crianças estavam falando a verdade sobre "a Senhora".

Como seu amorosamente lembrado predecessor, Papa Pio XII, disse a um grupo de peregrinos de Fátima 38 anos mais tarde:

"Se quisermos ter paz, devemos obedecer todas as solicitações feitas em Fátima. O momento de dúvida sobre Fátima já passou há muito tempo, este é o momento de atuar."

Santo Padre, nós lembramos vívidamente suas duas peregrinações a Fátima depois do atentado contra V. Santidade o 13 de Maio de 1981 —o mesmo dia do aniversário da primeira aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria. Durante sua peregrinação de Maio de 1982, V. Santidade expressou a convicção de que Nossa Senhora de Fátima havia intervindo para salvá-lo da morte naquele fatídico dia, e expressou sua gratidão a Ela. Ecoando a seu predecessor, V. Santidade declarou:

"A solicitação de Nossa Mãe em Fátima deve fazer que a Igreja toda se sinta obrigada a responder à Vontade de Nossa Senhora... A Mensagem impõe um compromisso com Ela..."

Na mesma ocasião, Santo Padre, V. Santidade também declarou que a Mensagem de Fátima não tem perdido importância com o tempo, e que pelo contrário, hoje é mais importante que nunca:

"Pelo contínuo incremento do pecado e dos perigos, como a guerra nuclear que ameaça atualmente a humanidade, a Mensagem de Fátima é mais urgente e relevante em nosso tempo que quando Nossa Senhora apareceu há 65 anos."

Pela inegável  importância da Mensagem de Fátima na vida da Igreja atualmente —e na sua própria vida, Santo Padre— não podemos imaginar um apostolado mais digno que o de promocionar um maior conhecimento e aderência a essa Mensagem.

Um Bom Sacerdote Está Sendo Atacado

V. Santidade, nos últimos 20 anos —toda a vida sacerdotal do Padre Nicholas Gruner— ele tem-se dedicado a esse apostolado. Ele tem divulgado incansávelmente a Mensagem de Fátima e fomentado a devoção Mariana em todo o mundo, seguindo a sua consciência e atuando sempre dentro das Leis da Igreja.

Mas agora a imagem deste fiel sacerdote e a existência mesma do seu apostolado de Fátima, estão sendo ameaçadas por alguns burocratas do Vaticano.

V. Santidade deve lembrar que a 12 de Julho de 1995, um Arcebispo e um bispo, mais alguns sacerdotes e religiosos, em união de mais de 9.000  membros do leigo publicaram uma Carta Aberta a V. Santidade, utilizando duas páginas completas de Il Messaggero, o jornal mais importante de Roma. A Carta Aberta rogava sua intercessão pelo Padre Gruner e seu apostolado de Fátima.

V. Santidade, como nós explicamos nessa súplica, a situação que causou a nossa primeira Carta Aberta tem piorado ainda mais. Os direitos de procedimento básicos e o respeito à dignidade sacerdotal concedidos a outros sacerdotes, ainda aqueles que promovem falsos ensinos ou cometem graves ofensas morais, tem sido negados ao Padre Gruner. A campanha contra o Padre Gruner por esses burocratas do Vaticano tem excedido os limites da razão e o rigor da Lei Canônica, transformando-se numa causa pessoal sem nenhuma relação com o bem da Igreja. Em resumo, essa causa tem-se convertido numa espécie de vendetta—contra a proclamação da Mensagem de Fátima e contra o sacerdote que é o proponente mais evidente dessa proclamação.

Nossas Petições Canônicas foram Desviadas

Santidade, antes que decidissemos publicar esta segunda Carta Aberta, o Padre Gruner e um proeminente leigo sustentador do apostolado viajaram ao Vaticano num esforço por apresentar pessoalmente a V. Santidade duas petições canônicas. * Uma do próprio Padre Gruner e outra de uma quantidade de leigos que trabalham como directores do seu apostolado. Finalmente as mesmas petições formais foram entregadas a V. Santidade por dois bispos benevolentes e um leigo durante Vossa audiência geral o dia 20 de Novembro de 1996.

*As quais, de acordo com a Lei Canônica (1405 e 1406) somente o Papa pode julgar.

Até ao dia 13 de Maio de 1997,** quase seis meses depois, não tinhamos recebido nenhuma resposta. De fato, membros da sua própria equipe, com aparente autoridade para receber documentos para V. Santidade, não quiseram dar seus nomes, e deixaram muito em claro que não era muito provável que V. Santidade visse as petições. Nós somente podemos assumir que inclusive as petições canônicas apresentadas a V. Santidade de acordo com os procedimentos legais (incluindo substancial documentação) na audiência geral foram varridas e jogadas para fora  por aqueles que querem negar ao Padre Gruner e aos membros do seu apostolado o direito dado por Deus a todos os católicos, inclusive os acusados de heréticos, de ter um último recurso ante o Papa.

**Até agora não tínhamos recebido resposta nenhuma.

Por essas razões, apresentamos este segundo recurso público a V. Santidade.

Um abuso de Poder

Santo Padre, nos últimos dois anos alguns burocratas do Vaticano têm executado sistemáticamente o que eles aparentemente acreditam que é um plano infalível para silenciar o Padre Gruner e destruir seu apostolado de Fátima sem seguir o devido procedimento ditado pela Lei Canônica.

Primeiro, esses burocratas implacávelmente impediram a "incardinação" do Padre Gruner por uma série de bispos que se oferecem para apoiar o labor do seu apostolado levando-o como um sacerdote de suas dioceses. Cada vez que uma proposição de incardinação era feita ao Padre Gruner por um bispo benevolente, os burocratas do Vaticano privadamente e ilícitamente pressionavam aos bispos para que retirassem seus oferecimentos.

Logo, os burocratas causaram que o Padre Gruner fosse convocado do Canadá, o país onde ele nasceu, para a Diocese de sua ordenação na Itália, depois de uma ausência aprovada de quase 20 anos. A única razão dada para a ordem de voltar foi o suposto "fracasso" do Padre Gruner em conseguir a incardinação de outro bispo — um "fracasso" que os próprios burocratas tinham causado!

Agora esses burocratas deram ao Padre Gruner, de 55 anos, exatamente 29 dias para abandonar seu apostolado de Fátima, incluindo um orfanato dedicado ao Imaculado Coração de Maria, sua casa, seus assuntos pessoais e todos seus outros compromissos e deveres, e voltar para viver no exílio pelo resto da vida numa remota diocese italiana que não o apoia nem solicita seus serviços desde 1978!

Pior ainda, Santidade. Quando o Padre Gruner apelou essa sentença incrivelmente injusta num tribunal da Igreja, seus juizes foram os mesmos burocratas que tentam enviá-lo ao exílio! E quando o Padre Gruner pediu que esses burocratas se demitissem do caso porque eles óbviamente não eram juizes imparciais, eles responderam que o Padre Gruner não tem direito a um juiz imparcial em "procedimentos administrativos"!

Esses juizes parcializados emitiram um decreto argumentando que o Padre Gruner tinha "fracassado" em conseguir a incardinação de outro bispo, esse "fracasso" já era uma boa causa para enviá-lo para Itália depois de 20 anos. Em essência, os burocratas castigaram o Padre Gruner por fracassar no que eles mesmos evitaram que ele conseguisse!

Em resumo, Santidade, nos últimos dois anos esses burocratas tem torturado o Padre Gruner como um gato com um rato —completamente confiantes de que ele não têm meios para resistir o poder que eles ostentam.

Mas a perseguição não termina alí, Santidade. Usando os grandes recursos à  disposição deles, os burocratas têm tomado medidas para evitar que os bispos obtenham vistos para viajar a conferências sobre Fátima organizadas pelo apostolado do Padre Gruner! Como outra medida, eles têm colocado na correspondência diplomática dos núncios papais, notificações para todos os bispos do mundo, ordenando-lhes não assistir às conferências do apostolado.

Mas os burocratas ainda não estavam satisfeitos com o dano que eles tinham feito ao Padre Gruner e ao seu trabalho; usando a mídia a sua disposição, eles têm feito enganosas "declarações" em L'Osservatore Romano, Avvenire e na Rádio Vaticana, afirmando que o apostolado do Padre Gruner não tem a "aprovação de nenhuma autoridade eclesiástica", quando eles sabem que pelas leis da Igreja tal aprovação não é requerida! (Cânones 212, 215, 216) Naturalmente, os apostolados particulares operando sem a "aprovação de nenhuma autoridade eclesiástica" são comuns na Igreja atualmente porque V. Santidade tem encorajado pessoalmente a formação deles sustentando a declaração do Segundo Concilio Vaticano sobre o apostolado dos leigos, e o Código de Lei Canônica que V. Santidade promulgou pessoalmente em 1983. (Cânones 208, 229)

Ações sem Precedente

Tantas ações sem precedente contra um só sacerdote Mariano e o seu apostolado de Fátima em Canadá! Um movimento mundial tem sido organizado contra ele! Porém, em toda a Igreja clérigos sem fé e associações heréticas estão causando escândalos e desafiando abertamente os ensinos de V. Santidade de fé e moral, enquanto os burocratas não fazem nada contra eles.

Santidade, nós não acreditamos que as mesmas medidas tomadas contra o Padre Gruner tenham sido tomadas alguma vez contra algum outro sacerdote que não fosse acusado de nenhuma ofensa. De fato, nós não acreditamos que esse tipo de medidas tenha sido tomada alguma vez contra algum sacerdote na Igreja. Devemos dizer que até Martin Lutero foi tratado com mais consideração nos seus direitos de procedimento básicos e por seu estado sacerdotal depois que ele públicamente escarneceu o Papa e rejeitou diversas doutrinas definidas do Magistério!

Apenas podemos ver com assombro, Santidade, o espetáculo do Padre Gruner sendo tratado como o pior dos criminais eclesiásticos, quando ele nunca cometeu nenhuma ofensa contra a fé ou a moral. Qual é o motivo deste incrível espetáculo? Somente pode ser a proclamação destemida de toda a Mensagem de Fátima. Não há mais nada neste sacerdote meigo que pudesse provocar tanta discórdia.

É verdade, Santidade, que a consagração da Rússia e a revelação do Terceiro Segredo, são assuntos muito controversiais na Igreja atualmente. Também é verdade que muitos católicos que são absolutamente leais a V. Santidade, incluso o Padre Gruner, têm a sincera convicção que esses dois elementos da Mensagem de Fátima são cruciais para resolver a presente crise na Igreja e no mundo.

Como V. Santidade sabe, Jesus disse à Irmã Lúcia a respeito da Consagração da Rússia solicitada por Nossa Senhora de Fátima: "Faça saber aos Meus ministros que dado que eles seguem o exemplo do rei de França retardando a execução da Minha petição, igualmente eles seguirão o seu exemplo na aflição." (Agosto, 1931)

Impulsado por essa grave advertência do Nosso Senhor a Sua Igreja, o Padre Gruner comparte a convicção de muitos dos fiéis: até que a consagração seja realizada definitivamente, os católicos devem continuar fazendo tudo o que estiver ao alcançe deles para garantir o cumprimento completo da solicitação de Nossa Senhora em Fátima.

Santidade, isso é um crime?

Um Arcebispo Denuncia a Injustiça

Santidade, em Novembro de 1995 o Padre Gruner recebeu um decreto formal de incardinação de um benevolente Arcebispo —um dos muitos prelados que têm oferecido ao Padre Gruner um descanso dos seus perseguidores. Nesse decreto, o Arcebispo, com 25 anos de experiência nesse cargo certifica a veracidade da perseguição do Padre Gruner pelos burocratas:

"Forças malvadas têm conspirado para pôr um fim ao seu trabalho de amor. Mas siga em frente acreditando no Senhor. O Seu amor é firme e  nunca falha, embora o senhor esteja sujeito a provas e até a perseguições, Deus também lhe dará grande conforto e consolo através dos amigos e pessoas bem-intencionadas. As forças burocratas não podem extinguir o trabalho de Deus. Eu rezo para que o senhor continue na sua missão otorgada por Deus apesar da grande oposição." (Carta, 4 de Novembro 1995)

Pouco tempo depois esse Arcebispo foi vítima da inexorável maquinaria de repressão dos burocratas. Logo depois que ele emitiu seu decreto com a incardinação do Padre Gruner, o Arcebispo recebeu uma notificação privada dos burocratas ordenando-lhe para não incardinar o Padre Gruner na sua Arquidiocese. Os burocratas não se sentiram obrigados nem sequer a dar uma razão específica para essa interferência sem precedente nas prerrogativas de um Arcebispo!

E dessa maneira, outro amigo do Padre Gruner e do seu apostolado de Fátima foi intimidado, como o jogo do gato e o rato dos burocratas, produto do que eles evidentemente acreditam vai ser a inevitável conclusão do caso.

Por favor ajude este sacerdote e 5.000.000 de fiéis,
Santo Padre

Nos últimos anos, Santidade, todos nós temos presenciado sem poder fazer nada o desenvolvimento dos planos dos burocratas para silenciar o Padre Gruner e seu apostolado, enquanto sacerdotes que ativamente minam o bem comum da Igreja com falsas ensinanças e indizíveis escândalos são reafirmados nos seus "direitos" sob a Lei Canônica, ou simplesmente ignorados pelos mesmos burocratas que perseguem o Padre Gruner há anos.

Apelamos a V. Santidade agora, neste extraordinário foro, porque já é evidente que o Padre Gruner nunca vai receber justiça nas congregações do Vaticano que são manipuladas por esses burocratas. Santidade, eles já "decretaram" que o Padre Gruner não tem sequer o direito a um juiz imparcial!

O resultado nesse caso já foi decidido, e os procedimentos foram reduzidos a um completo fraude. O Padre Gruner vai ser silenciado mediante qualquer expediant —a menos que, é claro, V. Santidade intervenha.

Por favor, ponha fim à perseguição do Padre Gruner, Santidade. Não o pedimos por causa de uma simples simpatia por um homem, senão pelas injustiças cometidas em contra de um bom sacerdote por aqueles que abusam dos seus poderes eclesiásticos, as quais devem ser retificadas—ainda mais num momento em que esses mesmos burocratas têm demonstrado um assíduo apoio à reputação e aos direitos de procedimento de clérigos sem fé que têm infringido um dano incalculável no Corpo de Cristo.

Entretanto, além do caso do Padre Gruner ainda há uma questão mais importante em que a verdade e a justiça estão ameaçadas, Santidade. Desde 1975 mais de cinco milhões de membros da Igreja têm assinado petições rogando pela consagração pública e definitiva da Rússia ao Imaculado Coração de Maria.

Santidade, os assinados nessas petições não são dissidentes Católicos como aqueles da Alemanha e dos Estados Unidos que ainda circulam petições demandando audaciosamente câmbios nas ensinanças estabelecidas da Igreja com respeito à fé e à moral —como se isso fosse possível!

Não, os Católicos que pedem a consagração da Rússia são absolutamente leais ao seu Papa. Eles sabem, Santidade, que o Infalível Magistério da Igreja ensina que os fiéis devem poder apelar ao seu Papa como último socorro de justas queixas na Igreja.

Santidade, o Padre Gruner tem dado voz às concernências de muitos desses fiéis Católicos, incluindo todos nós. Não podemos ser escutados num assunto concernente ao bem da Igreja e à salvação de almas? Ou o que vai acontecer é que as crescentes vozes dos dissidentes vão sendo toleradas, enquanto o Padre Gruner é perseguido, exilado e silenciado sem misericórdia por divulgar a Mensagem de Fátima?

Nossa Oração por Alívio

Santo Padre, por causa desse bom sacerdote, por causa de muitos fiéis que compartem suas sinceras convicções, por causa da justiça na Igreja, nós apelamos a V. Santidade que ponha fim à perseguição do Padre Nicholas Gruner. Rezamos para que V. Santidade faça isso mediante o benevolente exercício da sua suprema autoridade Apostólica em favor dos seguintes atos:

—Ordenar aos burocratas que perseguem o Padre Gruner cessar e desistir do abuso de autoridade sem precedente contra ele, que deixem de publicar mentiras e calúnias, que lhe permitam exercitar livremente seus direitos como sacerdote e, como membro do corpo de fiéis Católicos, que possa proclamar toda a Mensagem de Fátima e empenhar-se num apostolado de Fátima em união do clero e dos leigos.

—Decretar que o Padre Gruner tem o direito de ser libertado e de unir-se ao serviço de qualquer bispo benevolente que deseje aceitá-lo, sem medo às represálias dos burocratas.

—Ordenar aos burocratas que cessem com essa interferência sem precedente na jurisdição e nas prerrogativas dos bispos benevolentes que se têm oferecido para incardinar o Padre Gruner nas suas dioceses, ou que desejam apoiar o apostolado do Padre Gruner de outras formas, inclusive a presência dele nas suas conferências.

Nós, os amigos do Padre Nicholas Gruner, humildemente rogamos a V. Santidade fazer uso de uma pequena porção da sua justiça para a proteção paternal desse sacerdote, e dessa forma nos transmitir um sinal de esperança e alento a todos nós —que somos fiéis a V. Santidade, que lutamos cada dia para manter a fé, e que nunca vamos esquecer a Mensagem de Fátima enviada pelo Céu.

 

AGORA
Junte Seu Nome nesta Súplica Pública


    Nome: 
    Apelido: 

 Endereço: 

Cidade: 

Estado/província:  

Código Postal: 

 País: 

   Email: 
	                    
 

Toda a informação fornecida neste documento será mantida em confiança estrita!






imagemap for navigation Página inicial Mapa do site Contacto Pesquida Início da página>
<AREA SHAPE=DEFAULT HREF=